“Não me prendo a nada que me defina. Sou companhia, mas posso ser solidão. Tranquilidade e inconstância. Pedra e coração. Sou abraços, sorrisos, ânimo, bom humor, sarcasmo, preguiça e sono! Música alta e silêncio. Serei o que você quiser, mas só quando eu quiser. Não me limito, não sou cruel comigo! Serei sempre apego pelo que vale a pena e desapego pelo que não quer valer…”

Clarice Lispector

segunda-feira, 24 de setembro de 2007

Distração

"Esqueça de procurar o que você tanto quer
Deixe a chuva molhar seu rosto
embaçar seus óculos e chegar atrasado.
Esqueça-se de pensar
Sinta, chore,entregue-se
Desvie o olhar para a flor que respira e desabrochaenquanto o ônibus chega.
Ah! lá no céu uma nova estrelacomeça a surgir para seus olhos.
Pulse, não espere
Pule do trampolim mais alto
sem saber o que há no fundo.
Dê um tiro no escuro
Alguém estira a mão a você, seguremesmo sem saber quem...
Arrisque, palpite, intua
Dance de qualquer forma
mesmo que algúem te olhe
Mande pro espaço o julgamento alheio.
Livre-se das amarras
Corra entre as nuvens
Salta as montanhas que te impedem de voar.
Não pense, não calcule, não planeje
A vida é um mar que te toma da areia
e te leva ao naufrágioou à terra do tesouro
do outro lado do mundo.
Como saber onde chegar?"

Cyelle Carmem Pereira

2 comentários:

Devaneios de poeta disse...

Lindo!

Martínez disse...

ahammmmmm... ta se soltando!!! não sei porque estou sentindo cheiro de poesias fru fru mortas? haahhaha...